sexta-feira, 20 de abril de 2012

Repertório para coro infanto-juvenil

A FUNARTE lançou, em 2010, uma série para coro infanto-juvenil com as seguintes composições: Dúvidas (André Protasio), Bolocochê (André Vidal), Por entre os quintais (Aurélio Melo), Água (Cadmo Fausto), Adultos e crianças (Danilo Guanais), Alegria (Thelma Chan), Receita de alegria (Vinicius Carneiro) e Fábula (en)cantada, de minha autoria. As obras foram concebidas com o intuito de ampliar o repertório infanto-juvenil, apresentando composições acessíveis para a grande maioria dos grupos brasileiros.

Escrevi para coro a duas vozes com acompanhamento, formado por piano e dois instrumentos melódicos, sendo um grave e outro agudo, que, na partitura, estão indicados como oboé e violoncelo, respectivamente. No entanto, tendo em vista as dificuldades que muitos grupos poderão encontrar, deve-se, em caso de necessidade, substituir o oboé e o violoncelo por outros instrumentos melódicos com características similares. O piano também pode ser substituído por um teclado eletrônico. Quando não for possível executar a parte do piano tal como ela se apresenta, o pianista poderá tomar como referência as cifras, que definem a sintaxe harmônica da composição. Do mesmo modo, um violão poderá ser acrescentado na inexistência do piano ou do teclado. A obra está dividida em três seções, cujos afetos são definidos harmonicamente. A primeira seção, em dó maior, introduz o tema da história e o verso inicial pode ser cantado por um solista ou pequeno grupo de cantores. A ideia é criar um ambiente narrativo num estilo quase recitativo. A seção intermediária, em dó menor, é mais dramática, ritmicamente intensa e caracterizada pelo diálogo entre as partes. A última seção, em dó maior, retoma o lirismo da introdução, apresentando a moral de cada verso e da fábula como um todo. A extensão vocal é de uma nona (Dó3–Ré4) e a melodia, que é 
predominantemente diatônica e por graus conjuntos, está diretamente vinculada ao texto. Ressalto ainda que a transposição é livre e que a canção também pode ser interpretada por vozes afins ou coro misto, conforme o contexto.


Durante o processo de preparação e interpretação, o regente poderá desenvolver trabalhos interdisciplinares, expandindo o campo de conhecimento do aluno-cantor, promovendo a interação da música com outras áreas, visto que esta lenda pode ser o ponto de partida para vários estudos e reflexões. Sempre que possível, e com muita discrição, deve-se recorrer aos recursos cênicos, representando os diferentes momentos da trama, que ganhará mais expressividade com o auxílio da cenografia e dos adereços.

Fábula (partitura - midi) integra a Coleção Música Brasileira para Coro Infantil, que originalmente foi lançada nos anos oitenta com composições de Ernst Widmer, Mario Ficarelli, Jorge Antunes, dentre outros. Esta edição, coordenada por Zezé Queiroz e Eduardo Lakschevitz, traz nomes de diferentes partes do país e composições com variadas temáticas.

Vladimir Silva (silvladimir@gmail.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário