sexta-feira, 10 de abril de 2015

Valsa para um amor

O casamento do compositor Reginaldo Carvalho com Liliane Penna foi amplamente divulgado no noticiário carioca da época. Toda a história do encontro do casal é narrada no jornal Última Hora, edição do dia 6 de junho de 1955. Segundo o documento, Liliane, 19 anos, era filha de João Teixeira Penna[1], vice-cônsul do Brasil em Marselha. Reginaldo, que àquela época estava com 22 anos, conheceu Liliane em Paris, na casa de amigos. Foi amor à primeira vista e, por esta razão, ele pediu a mão da moça em casamento pouco tempo depois. O pai de Liliane foi desfavorável à proposta, alegando que ela ainda era muito jovem. Descontentes, os jovens apaixonados decidiram fugir para a Escócia, pois lá poderiam realizar o sonho do matrimônio sem o consentimento dos pais. O filho do embaixador do México em Paris, Fernando Luís Legardi, que também estava voltando de Gretna Green, onde acabara de casar-se com uma italiana, orientou os dois nesse processo.

Conforme relato do jornal, “agora, a Lei exige que o casamento seja realizado pelo ‘Registrar’, o oficial do registro civil, o qual, mediante a importância de 10 shillings entrega a certidão sem que seja necessário publicar os corriqueiros ‘banhos’ ou proclamas. Mas as três semanas de residência na Escócia continuam obrigatórias. Liliana (sic) e Reginaldo explicaram ao ‘Registrar’ o seu caso. O ‘magistrado’ preencheu as formalidades. Restam agora apenas alguns documentos a assinar. Eram precisas duas testemunhas. Liliana (sic) e Reginaldo não conheciam pessoa nenhuma de Gretna Green, mas dois habitantes da aldeia ofereceram seus serviços. Agora os dois namorados esperam apenas o prazo das três semanas. (Jornal Última Hora, Rio de Janeiro, página 3, 6 de junho de 1955).”

Quando indagada sobre quantos filhos gostaria de ter, Liliane menciona seis ou sete, como nos grandes romances, ressaltou. Segundo o repórter, Reginaldo confirmou as expectativas da futura esposa, mexendo apenas com os ombros. O certo é que desse casamento nasceram três filhos: Sérgio (já falecido), Marcos e Naire.

Gretna Green Romantic Waltz, disponível no endereço http://goo.gl/lhR4oN, foi escrita em 1955 para piano solo. A obra é, em certa medida, uma homenagem à pequena vila de Gretna Green, localizada no sul da Escócia, traduzindo, portanto, o espírito de Reginaldo Carvalho naquele momento de intensa paixão. A valsa, dividida em três partes, tem uma curta introdução, notadamente jazzística. Melodia e harmonia, nas demais seções, criam uma atmosfera romântica, que nos remete aos salões de bailes nos quais casais enamorados dançam, celebrando a vida e o amor.

Vladimir Silva (silvladimir@gmail.com)


[1] No Jornal Última Hora, o nome do pai de Liliane aparece como Ricardo Penna. Em entrevista a este pesquisador, a filha de Reginaldo Carvalho fez a correção, informando que o nome do seu avô materno era João Teixeira Penna. Na ocasião, ela também confirmou que o nome da mãe é Liliane e não Liliana, como consta no jornal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário