quarta-feira, 11 de junho de 2014

O canto que vem das Minas

Acabo de chegar de São João Del Rei, Minas Gerais, onde participei de mais um Painel FUNARTE de Regência Coral ao lado dos professores Ângelo Dias, Stella Junia e Maria José Queiroz. Trabalhamos com mais de cento e cinquenta alunos advindos de diferentes partes do Brasil. É certo que os doze participantes que vieram de Mossoró, no Rio Grande do Norte, atravessaram o Brasil e, por isso, merecem uma menção honrosa pela coragem, disposição e dedicação.

Os Paineis têm cumprido uma importante função no atual panorama do canto coral brasileiro, servindo como ponto de partida para os que desejam enveredar pelo caminho da regência, bem como momento de reflexão e reordenamento das ideias para aqueles que já estão no mercado de trabalho. Ao longo das aulas, trabalhamos vários temas, incluindo gestual, seleção de repertório, técnica vocal, metodologia e planejamento do ensaio. O repertório foi variado, abrangendo obras de diferentes períodos, estilos e autores. Nosso foco principal foi a interpretação de música originalmente escrita para coro, sobretudo a literatura brasileira, razão pela qual interpretamos Dá-nos paz!, de Ângelo Dias; Dois loucos no bairro, de Paulo Leminski e Eli-Eri Moura; Notícia de Jornal, fruto da minha parceria com Thúlio Antunes; e Salmo de Davi, do compositor paraibano Reginaldo Carvalho.

O Salmo de Reginaldo Carvalho, para coro misto e harmônio, evoca o modalismo do Nordeste e está dividido em duas partes: o refrão é polifônico e as antífonas, monofônicas. A inserção desta peça foi intencional, pois Reginaldo Carvalho atuou como regente em Minas Gerais, trabalhando com o coro dos Pequenos Cantores de São Domingos (http://goo.gl/8Lonxk). É dessa época, aliás, que datam quatro dos seus motetos mais expressivos: Oração para antes da refeição (Juiz de Fora, 1954), As sete palavras da oração dominical (Juiz de Fora, 1956), Salmo de Davi (Juiz de Fora, 1957) e Ave, Maria (São João Del Rei, 1959), obra recorrente no meu repertório (http://goo.gl/m0T6wM). O Salmo é dedicado a José Maria Neves, filho ilustre de São João Del Rei, que fora seu aluno no Instituto Villa-Lobos, no Rio de Janeiro.

Andando pelas ruas de São João Del Rei, viajei no tempo contemplando o rico patrimônio arquitetônico. Ao visitar o Centro de Referência Musicológica (http://goo.gl/SNhNAv), onde estão guardadas mais de quatro mil obras do acervo de José Maria Neves, pensei em Reginaldo Carvalho, na beleza da sua obra sacra, ecoando por ruas estreitas e paredes seculares, nas vozes dos jovens alunos, que, “beliscados” ao longo daquele Painel, como tão bem colocou Maria José Queiroz, continuarão a contar/cantar esta e outras histórias.

Vladimir Silva (silvladimir@gmail.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário